Novidades

Últimos artigos
Artigos na categoria: "História da Matemática"

Países do Continente Africano: Quênia

- 24 de abril de 2021 Sem comentários
Com o objetivo de expandir o nosso conhecimento sobre o Continente Africano, vamos compartilhar um pouco (e aos poucos) sobre cada um dos 54 países desse continente. Hoje, conheceremos um pouco sobre o Quênia. 

Países do Continente Africano: Quênia

Sou colecionador de camisas de futebol, e atualmente, estou iniciando a coleção de seleções de países do Continente Africano. A cada camisa adquirida, sempre compartilho em minhas redes sociais um pequeno resumo sobre o país referente a camisa postada. Então, pensei em compartilhar com mais pessoas por este blog, com a vantagem de poder colocar mais fotos.

Mas, qual o motivo de um blog sobre Matemática compartilhar informações sobre países do Continente Africano? O motivo é simples: assim como a humanidade, a Matemática iniciou e se desenvolveu na África!

Países do Continente Africano: Quênia



Neste blog, já temos alguns artigos sobre o assunto, que você pode conferir clicando no próprio assunto citado abaixo:










No Instagram, atualizamos sempre publicações sobre África, a Matemática no Continente Africano, cursos sobre Educação antirracista, entre outros.


Mas, porquê estudar a Matemática no Continente Africano? Aliás, porquê estudar a História da África?

  • África é o berço da humanidade e foi em África que o ser humano inventou a Matemática, o fogo, a escrita, a astronomia, o calendário, a engenharia, a medicina, a filosofia, entre diversos outros ramos da ciência e do conhecimento humano;

  • Brasil é o 2º país de maior população negra do mundo, atrás somente da Nigéria;

  • No Brasil, aproximadamente, 56% das pessoas são pretas e pardas;

  • África é o continente que mais contribuiu para a formação do Brasil (seja na sociedade ou na cultura), portanto, para compreender a história do Brasil, é necessário conhecer a história da África;

  • Descolonizar o pensamento que os povos europeus impuseram ao mundo, apagando os conhecimentos sociais, culturais, matemáticos e científicos dos povos africanos;

  • Desmistificar a Matemática como uma ciência fria, abstrata e superior, mostrando que é uma prática social, descoberta e utilizada desde o início da humanidade, na África;

  • Cumprir a lei 10.639/03, que insere a História da África e Cultura Afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino públicos e particulares.


Alguns dados sobre a África:

  • 3º maior continente em extensão territorial = 30 milhões de km²;

  • 2º continente mais populoso do mundo = 1,2 bilhões de habitantes;

  • Ocupa 20% da área continental do planeta Terra.


Países do Continente Africano: Quênia

 

Países do Continente Africano: Quênia

República do Quênia é um país da região oriental do continente africano, banhado pelo Oceano Índico. No centro do país, erguem-se sistemas montanhosos de origem vulcânica que culminam no Monte Quênia (que deu origem ao nome do país), de aproximadamente 5,2 mil metros, o ponto mais alto do país. No sul, destaca-se o Kilimanjaro, a maior montanha da África, cujo pico mais elevado, que atinge 5.895 metros, se encontra na vizinha Tanzânia. Também, o país conta com vários lagos, inclusive compartilha o lago Vitória (o maior da África e o 2º maior do mundo) com Uganda e Tanzânia.

Países do Continente Africano: Quênia

A capital do Quênia é Nairóbi, o país possui área de aproximadamente 582.646 km² com uma população com mais de 45 milhões de pessoas. A língua oficial é o suaíle, seguida pelo inglês, quicuio e luo. As religiões são seguidas pelo protestantismo (32,6%), catolicismo (24,3%), cristianismo independente (20%), outros cristãos (14,1%), crenças tradicionais (11,1%) e islamismo (11,2%). Quênia é formado por uma grande variedade de grupos étnicos (consequentemente, uma vasta cultura), entre os quais se destacam os quicuios (21%), os luias (14%), os luos (13%), os cambas (11%) e os calenjins (11%). A moeda do país é o Xelim Queniano. Faz divisas com Sudão do Sul, Etiópia, Somália, Tanzânia e Uganda.

Países do Continente Africano: Quênia

A região dos Grandes Lagos Africanos, no qual o Quênia faz parte, tem sido habitada por seres humanos (iniciando pelos hominídeos, entre eles, os australopithecus) desde o período Paleolítico Inferior, há praticamente 20 milhões de anos. Lembrando que o continente africano é o berço da humanidade, sendo esse um dos motivos que precisamos estudar a história da África.

Países do Continente Africano: Quênia

Quênia é famoso por safáris e diversas reservas naturais com grande variedade de animais e parques nacionais, com diversos sítios de patrimônio mundial, como Lamu, e praias com renome mundial, como Kilifi, onde são realizadas competições de iatismo internacional anualmente. Com a diversidade de animais, muitos turistas (principalmente europeus, vão ao Quênia para caçar). Devido as belas paisagens naturais, além do Monte Quênia e o deserto Chalbi, o turismo é a principal fonte de renda do país (corresponde a mais de 60% do PIB), junto com a agricultura (milho, mandioca, café, chá, algodão, tabaco e frutas tropicais). São relevantes também a extração de madeira e a pesca. O país possui reservas de sal, fluorita, ouro, calcário, prata e chumbo. Na indústria destacam-se o refino de petróleo e a fabricação de material de construção.

Países do Continente Africano: Quênia

O esporte mais popular no Quênia é o atletismo, que faz o país ser conhecido mundialmente, seja em olimpíadas e em corridas de rua, inclusive na tradicional Corrida de São Silvestre, na cidade de São Paulo (SP), Brasil. Nos jogos olímpicos (mesmo não participando nos anos de 1976 e 1980), Quênia possui um total de 100 medalhas, sendo 93 no atletismo (30 de ouro, 37 de prata e 26 de bronze) e 7 no boxe (1 de ouro, 1 de prata e 5 de bronze). Também, outros esportes são populares no país, como o rugby, o cricket e o xadrez.

Países do Continente Africano: Quênia

Países do Continente Africano: Quênia


A Seleção Queniana de Futebol, conhecida como Harambee Stars, foi campeã da Copa CECAFA (Conselho das Associações de Futebol da África Oriental e Central) por sete vezes, nos anos de 1975, 1981, 1982, 1983, 2002, 2013 e 2017.

Países do Continente Africano: Quênia



Países do Continente Africano: Zimbábue

- 1 de abril de 2021 Sem comentários
Com o objetivo de expandir o nosso conhecimento sobre o Continente Africano, vamos compartilhar um pouco (e aos poucos) sobre cada um dos 54 países desse continente. Hoje, conheceremos um pouco sobre Zimbábue. 

Países do Continente Africano: Zimbábue

Sou colecionador de camisas de futebol, e atualmente, estou iniciando a coleção de seleções de países do Continente Africano. A cada camisa adquirida, sempre compartilho em minhas redes sociais um pequeno resumo sobre o país referente a camisa postada. Então, pensei em compartilhar com mais pessoas por este blog, com a vantagem de poder colocar mais fotos.

Mas, qual o motivo de um blog sobre Matemática compartilhar informações sobre países do Continente Africano? O motivo é simples: assim como a humanidade, a Matemática iniciou e se desenvolveu na África!

Países do Continente Africano: Zimbábue


Neste blog, já temos alguns artigos sobre o assunto, que você pode conferir clicando no próprio assunto citado abaixo:










No Instagram, atualizamos sempre publicações sobre África, a Matemática no Continente Africano, cursos sobre Educação antirracista, entre outros.


Mas, porquê estudar a Matemática no Continente Africano? Aliás, porquê estudar a História da África?

  • África é o berço da humanidade e foi em África que o ser humano inventou a Matemática, o fogo, a escrita, a astronomia, o calendário, a engenharia, a medicina, a filosofia, entre diversos outros ramos da ciência e do conhecimento humano;

  • Brasil é o 2º país de maior população negra do mundo, atrás somente da Nigéria;

  • No Brasil, aproximadamente, 56% das pessoas são pretas e pardas;

  • África é o continente que mais contribuiu para a formação do Brasil (seja na sociedade ou na cultura), portanto, para compreender a história do Brasil, é necessário conhecer a história da África;

  • Descolonizar o pensamento que os povos europeus impuseram ao mundo, apagando os conhecimentos sociais, culturais, matemáticos e científicos dos povos africanos;

  • Desmistificar a Matemática como uma ciência fria, abstrata e superior, mostrando que é uma prática social, descoberta e utilizada desde o início da humanidade, na África;

  • Cumprir a lei 10.639/03, que insere a História da África e Cultura Afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino públicos e particulares.


Alguns dados sobre a África:

  • 3º maior continente em extensão territorial = 30 milhões de km²;

  • 2º continente mais populoso do mundo = 1,2 bilhões de habitantes;

  • Ocupa 20% da área continental do planeta Terra.


Quer conhecer mais sobre a Matemática no Continente Africano? Participe do nosso curso: A Matemática no Continente Africano e a Descolonização do Currículo.

Países do Continente Africano: Zimbábue

O curso será realizado online, no dia 22/04/2021, das 19h às 21h.




Países do Continente Africano: Zimbábue


Países do Continente Africano: Zimbábue

República do Zimbábue (ou Zimbabwe, na língua shona) é um país do sul da África sem saída para o mar. Sua capital é Harare, o país possui área com mais de 390 mil km² com mais de 15 milhões de habitantes. A língua oficial é o inglês, seguidos por sindebele e o shona.

Países do Continente Africano: Zimbábue

Com muitos rios, o Zimbábue possui uma das maiores reservas de água da África e exuberantes belezas naturais. O rio Zambeze abriga as famosas Cataratas Vitória (considerada uma das maiores maravilhas naturais do mundo, na divisa com o Zâmbia), que formam uma cortina de água com cerca de 1.708 metros de largura e 122 metros de altura. Além do Zambezi e do Limpopo, outros rios importantes são o Sabi e o Shangani.

Países do Continente Africano: Zimbábue

A grande maioria da população é formada por etnias de raiz bantu. Os principais grupos étnicos são os shonas (71% dos habitantes) e os nedebeles (16%). A religião majoritária é o cristianismo independente (movimentos independentes das tradicionais linhas cristãs) (44,9%), seguidos pelas crenças tradicionais (animismo, xamanismo e politeísmo) (29,2%), protestantismo (16,4%) e outros cristãos (21,1%).

Países do Continente Africano: Zimbábue

Zimbábue significa “casa de pedra” na linguagem shona, devido ao Reino do Zimbabwe (séculos XI ao XV), um reino com uma arquitetura magnífica feita de pedra, conhecida como Muralha do Grande Zimbábue, atualmente chamada de Ruínas do Grande Zimbábue, que contém um valor histórico (semelhante as Pirâmides do Egito, Machu Picchu e a Grande Muralha da China), cultural e arqueológico, impressionantes.

Países do Continente Africano: Zimbábue

As ruínas do Grande Zimbábue são um testemunho único da civilização Bantu dos Shona. A cidade foi um importante centro comercial na Idade Média. O assentamento abrange um aglomerado de aproximadamente 250 casas reais construídas de barro, que, além de outras casas de barro e colmo de vários andares, teriam sustentado até 20.000 habitantes. O método de construção é único na arquitetura africana, nenhum é tão distinto e imponente como o Grande Zimbábue. As divinas estatuetas de pedra-sabão, os Pássaros do Zimbábue (que hoje encontra-se na bandeira do país), encontradas dentro das ruínas são um testemunho que o local era utilizado para culto desde o passado antigo até os dias atuais. O Grande Zimbábue fazia parte de uma grande e rica rede de comércio global. Arqueólogos encontraram cerâmica e vidro da China e da Pérsia, bem como ouro e moedas árabes. A elite controlava o comércio ao longo da costa leste da África. O Monumento Nacional do Grande Zimbábue foi designado Patrimônio Mundial da UNESCO em 1986.

Países do Continente Africano: Zimbábue

O Grande Zimbábue compõe a maior ruína da África subsaariana. Antes desse reino, existiram outros no território do país, e o Reino do Zimbabwe deu lugar ao Império Mutapa ou Monomotapa. Todos os reinos e impérios existentes onde hoje é Zimbábue foram de grande importância nas rotas comerciais estratégicas com os árabes, persas, chineses, portugueses, entre outros, além das riquezas em ouro, cobre e marfim. Lembrando na África existiram diversos reinos e impérios (bem mais ricos e poderosos do que muitos europeus), e por isso é assertivo dizer que a população negra é descendente de rainhas e reis, e não descendentes de povos escravizados (fatos que ocorreram após as invasões europeias a partir do século XV), como dizem os livros didáticos.

Países do Continente Africano: Zimbábue

Países do Continente Africano: Zimbábue

Países do Continente Africano: Zimbábue

De olho nas riquezas do Zimbábue (principalmente o ouro) os portugueses invadiram a região, mas depois foram expulsos por um novo e poderoso império zimbabuano, o Império Rozwi. Após a invasão inglesa, no qual se tornou colônia, o país passou a se chamar Rodésia do Sul, e sua vizinha Zâmbia chamava-se Rodésia do Norte. O nome Rodésia vem do colonizador e empresário inglês Cecil Rhodes, um dos responsáveis pelo imperialismo britânico no país e do genocídio dos povos africanos (mais de 60 milhões de pessoas), no qual defendia o chamado Darwinismo Social, ou seja, a superioridade da raça branca em relação das demais raças, ideia que deu origem ao eugenismo e ao racismo. A empresa fundada por Rhodes, a companhia De Beers, atualmente detém aproximadamente 44% de todo o mercado mundial de diamantes, mas já foi responsável por 90% desse mercado. A independência aconteceu em 1980 com o nome de Zimbábue, devido ao Reino do Zimbabwe.

Países do Continente Africano: Zimbábue

Rico em arte e cultura, em Zimbábue muitos artistas são valorizados e conseguem viver da arte em seu próprio país, com destaques nas obras de cerâmica, cestaria, tecidos pintados, joias e esculturas em madeira. A música é parte importante da vida cultural e utilizam instrumentos tradicionais como a marimba, o xilofone de madeira e o mbira (conhecido como “piano de polegar”), entre outros instrumentos de percussão.

Países do Continente Africano: Zimbábue
Pássaro do Zimbábue

   
Países do Continente Africano: Zimbábue
Pássaro do Zimbábue
         
A agricultura, favorecida pelo clima e pela fertilidade do solo, emprega mais de 60% da força de trabalho do Zimbábue. São produzidos cana-de-açúcar, milho, mandioca, tabaco, algodão e trigo, entre outros. A pecuária abrange a criação de bois, cabras, ovelhas, porcos e aves. Ainda no setor primário, tem importância a pesca e a extração de madeira. Outro pilar da economia é a mineração. Algumas das principais reservas são as de ouro, prata, carvão e pedras preciosas. A indústria se destaca nos ramos metalúrgico, petroquímico, siderúrgico, mecânico, têxtil e alimentício.

Países do Continente Africano: Zimbábue

O futebol é o esporte mais popular em Zimbábue. A Seleção Zimbabuana de Futebol, apelidado de The Warriors (os guerreiros), era conhecida como Seleção de Futebol da Rodésia do Sul entre 1939 a 1964, após como Seleção de Futebol de Rodésia até 1980, ano da independência do país, chamando-se Zimbábue. Foi campeão da Copa COSAFA (Conselho das Associações de Futebol da África Austral) nos anos de 2000, 2003, 2005 e 2009. Também foi campeão da Copa CECAFA (Conselho das Associações de Futebol da África Oriental e Central) em 1985.

Países do Continente Africano: Zimbábue



Países do Continente Africano: Egito

- 24 de março de 2021 Sem comentários
Com o objetivo de expandir o nosso conhecimento sobre o Continente Africano, vamos compartilhar um pouco (e aos poucos) sobre cada um dos 54 países desse continente. Hoje, conheceremos um pouco sobre Egito. 

Países do Continente Africano: Egito

Sou colecionador de camisas de futebol, e atualmente, estou iniciando a coleção de seleções de países do Continente Africano. A cada camisa adquirida, sempre compartilho em minhas redes sociais um pequeno resumo sobre o país referente a camisa postada. Então, pensei em compartilhar com mais pessoas por este blog, com a vantagem de poder colocar mais fotos.

Mas, qual o motivo de um blog sobre Matemática compartilhar informações sobre países do Continente Africano? O motivo é simples: assim como a humanidade, a Matemática iniciou e se desenvolveu na África!

Países do Continente Africano: Egito


Neste blog, já temos alguns artigos sobre o assunto, que você pode conferir clicando no próprio assunto citado abaixo:










No Instagram, atualizamos sempre publicações sobre África, a Matemática no Continente Africano, cursos sobre Educação antirracista, entre outros.


Mas, porquê estudar a Matemática no Continente Africano? Aliás, porquê estudar a História da África?


  • África é o berço da humanidade e foi em África que o ser humano inventou a Matemática, o fogo, a escrita, a astronomia, o calendário, a engenharia, a medicina, a filosofia, entre diversos outros ramos da ciência e do conhecimento humano;

  • Brasil é o 2º país de maior população negra do mundo, atrás somente da Nigéria;

  • No Brasil, aproximadamente, 56% das pessoas são pretas e pardas;

  • África é o continente que mais contribuiu para a formação do Brasil (seja na sociedade ou na cultura), portanto, para compreender a história do Brasil, é necessário conhecer a história da África;

  • Descolonizar o pensamento que os povos europeus impuseram ao mundo, apagando os conhecimentos sociais, culturais, matemáticos e científicos dos povos africanos;

  • Desmistificar a Matemática como uma ciência fria, abstrata e superior, mostrando que é uma prática social, descoberta e utilizada desde o início da humanidade, na África;

  • Cumprir a lei 10.639/03, que insere a História da África e Cultura Afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino públicos e particulares.


Alguns dados sobre a África:


  • 3º maior continente em extensão territorial = 30 milhões de km²;

  • 2º continente mais populoso do mundo = 1,2 bilhões de habitantes;

  • Ocupa 20% da área continental do planeta Terra.

Quer conhecer mais sobre a Matemática no Continente Africano? Participe do nosso curso: A Matemática no Continente Africano e a Descolonização do Currículo.

Países do Continente Africano: Egito

O curso será realizado online, no dia 22/04/2021, das 19h às 21h.



Países do Continente Africano: Egito 


Países do Continente Africano: Egito

República Árabe do Egito é um país localizado no nordeste da África (em sua maior parte), e uma pequena parte no sudoeste da Ásia (a península do Sinai, um deserto arenoso no norte e montanhoso no sul, que, segundo a tradição bíblica, Moisés teria recebido de Deus os Dez Mandamentos). Sua capital é Cairo (a maior cidade do continente africano), e a língua oficial é o árabe, seguido pelo berbere.

Países do Continente Africano: Egito

O país possui aproximadamente uma área de 1.001.449 km² com uma população aproximada em mais de 84 milhões de habitantes. Faz divisas com a Líbia, Sudão, Faixa de Gaza e Israel, e é banhado pelo Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho. O Rio Nilo (base da civilização e importantíssimo ao país até hoje) é o mais extenso do mundo.

Países do Continente Africano: Egito

Egito tem a história mais fantástica da humanidade, e é com ela passamos da chamada pré-história (termo muito contestável, já que todos temos história, então, vamos chamar de antes da escrita) para a história. É a 2ª civilização humana, existente há mais de 5.000 anos. Seu nome original é Kemet (significa Terra Preta ou Povo Preto), chamado de Egito pelos gregos. Egito, em grego, significa Hewe-ka Ptah (casa do ka de Ptah) ou lar da alma de Ptah (Ptah foi o deus dos artesãos e arquitetos, dizem ser pai de Imhotep, um sábio considerado como o primeiro arquiteto, engenheiro e médico da história antiga).

Países do Continente Africano: Egito

Falar sobre Egito é muito complexo, na realidade seria um extenso livro. Não é à toa que existem diversas obras (seja em livros, filmes, exposições, entre outros) sobre o país, inclusive um ramo da ciência chamado de Egiptologia. As histórias sobre as dinastias, faraós, múmias e as grandes pirâmides mexem com o imaginário das pessoas. As Pirâmides de Gizé são a única maravilha do mundo antigo que se mantém de pé.

Países do Continente Africano: Egito


Devido a sua riqueza, em todos os sentidos, Egito foi o território mais invadido por diversos povos durante toda a história da humanidade. Também, como é inegável sua contribuição para o mundo, suas histórias são contadas com o apagamento do povo negro, ou seja, sempre apresentam o Antigo Egito como se fosse branco, e, na História da Matemática, nunca apresentam como um país africano. Inclusive, quando se fala na Biblioteca de Alexandria (um dos maiores e mais importantes templos do conhecimento humano, principalmente na Matemática) e seus matemáticos mais importantes, como Euclides, Teón e Hipátia de Alexandria, fala-se somente do povo grego.

Países do Continente Africano: Egito

Países do Continente Africano: Egito

Toda a filosofia grega e seu conhecimento científico, vem do Egito. Filósofos como Sócrates, Platão e Aristóteles, assim como os matemáticos Tales de Mileto e Pitágoras de Samos, entre diversos outros filósofos e matemáticos gregos, estudaram em Kemet por longos anos. Essas pessoas foram condenadas na Grécia justamente por levar um conhecimento desconhecido, do outro, ou seja, do Egito. Estudaram na chamada Per Ankh (Casa da Vida) e na Biblioteca Real (conhecida posteriormente como Biblioteca de Alexandria, após a invasão macedônia), seja em Matemática, Astronomia, Medicina, entre diversos outros ramos do conhecimento humano. Isso comprova que o povo egípcio tinha muito conhecimento científico, ao contrário do que dizem os livros didáticos e da História da Matemática, que dizem que o Egito utilizava a Matemática somente de forma indutiva, para a prática diária.

Países do Continente Africano: Egito

Então, toda a Matemática grega e grande parte da Matemática que utilizamos hoje, tem origem no Antigo Egito. Inclusive, diversas fórmulas matemáticas que hoje levam o nome de matemáticos gregos, são oriundas de Kemet. Na verdade, devemos aos povos africanos, além da vasta cultura, também a Matemática e a Ciência, apropriadas posteriormente pelos invasores europeus. Também, grande parte da Matemática árabe deve-se ao Egito, como as Equações do 1º Grau e o sistema de numeração decimal. Existem dois papiros que estão em museus, comprovando a genialidade matemática dos egípcios, que são o Papiro de Rhind ou Ahmes e o Papiro de Moscou. Neles, encontramos, além das Equações do 1º Grau e o sistema de numeração decimal, cálculos e situações-problema com Adição, Subtração, Multiplicação e Divisão (inclusive de Frações); toda a Geometria que hoje é chamada de Euclidiana (lembrando que Euclides de Alexandria aprendeu e apresentou todo o “seu trabalho” em Alexandria, no Egito), seja Ponto, Reta, Plano, Ângulos, Área, Perímetro, Volume (ou as pessoas acham que as pirâmides foram construídas aleatoriamente?); Razão e Proporção; Progressão Aritmética; Sistemas de Medidas, entre diversos outros conteúdos matemáticos, inclusive o famoso Teorema do Triângulo Retângulo, atribuído à pessoa que aprendeu muita Matemática, filosofia e muita religiosidade no Egito, que foi Pitágoras.

Países do Continente Africano: Egito

Países do Continente Africano: Egito

Kemet foi pioneira em diversas áreas do conhecimento humano, entre elas: Matemática, escrita e número, calendário (igual ao que temos hoje, inclusive com ano bissexto), astronomia, química, engenharia, medicina, odontologia, farmácia, filosofia, política, têxteis, literatura, direito, urbanismo, dramaturgia (teatro), vidro, roda, filosofia, metalurgia, navios, agricultura, tinta e caneta, entre diversas outras contribuições para a humanidade, que hoje o eurocentrismo atribui tudo ao povo grego e outros povos europeus.

Países do Continente Africano: Egito

Atualmente, a população do Egito é composta em 98% por árabes egípcios e 2% por beduínos que vivem nos desertos e pelos núbios, antiga etnia do sul. Cerca de 10% da superfície do Egito é ocupada pelo delta do Nilo, que entra no país vindo do Sudão. Os 90% restantes do território são essencialmente constituídos por desertos. Menos de 4% do território egípcio é propício à agricultura, mas também a pecuária e a pesca possuem destaque no setor primário. Forte na indústria (que emprega 1/5 da mão de obra e responde por 1/3 do PIB), o setor se destaca na fabricação de produtos químicos, açúcar, cimento, automóveis, máquinas, papel, alimentos, entre outros. A produção e exportação de petróleo são essenciais para o país, assim como o turismo.

Países do Continente Africano: Egito

O futebol é o esporte mais popular do Egito, seguido por basquetebol, handebol, squash e tênis. A Seleção Egípcia de Futebol venceu 7 vezes a Copa Africana das Nações (1957, 1959, 1986, 1998, 2006, 2008 e 2010), o único heptacampeão e o maior vencedor do torneio, e participou de 3 Copas do Mundo em 1934, 1990 e 2018 (sendo a 1ª seleção africana a marcar um gol nesta competição).

Países do Continente Africano: Egito


Acompanhe as próximas postagens, fique atento! Para não perder nada, assine gratuitamente o nosso blog! 


Grande abraço e bons estudos!


Países do Continente Africano: Zâmbia

- 5 de março de 2021 Sem comentários
Com o objetivo de expandir o nosso conhecimento sobre o Continente Africano, vamos compartilhar um pouco (e aos poucos) sobre cada um dos 54 países desse continente. Hoje, conheceremos um pouco sobre Zâmbia.

Países do Continente Africano: Zâmbia

Sou colecionador de camisas de futebol, e atualmente, estou iniciando a coleção de seleções de países do Continente Africano. A cada camisa adquirida, sempre compartilho em minhas redes sociais um pequeno resumo sobre o país referente a camisa postada. Então, pensei em compartilhar com mais pessoas por este blog, com a vantagem de poder colocar mais fotos.

Mas, qual o motivo de um blog sobre Matemática compartilhar informações sobre países do Continente Africano? O motivo é simples: assim como a humanidade, a Matemática iniciou e se desenvolveu na África!

Países do Continente Africano: Zâmbia


Neste blog, já temos alguns artigos sobre o assunto, que você pode conferir clicando no próprio assunto citado abaixo:










No Instagram, atualizamos sempre publicações sobre África, a Matemática no Continente Africano, cursos sobre Educação antirracista, entre outros.


Mas, porquê estudar a Matemática no Continente Africano? Aliás, porquê estudar a História da África?

  • África é o berço da humanidade e foi em África que o ser humano inventou a Matemática, o fogo, a escrita, a astronomia, o calendário, a engenharia, a medicina, a filosofia, entre diversos outros ramos da ciência e do conhecimento humano;

  • Brasil é o 2º país de maior população negra do mundo, atrás somente da Nigéria;

  • No Brasil, aproximadamente, 56% das pessoas são pretas e pardas;

  • África é o continente que mais contribuiu para a formação do Brasil (seja na sociedade ou na cultura), portanto, para compreender a história do Brasil, é necessário conhecer a história da África;

  • Descolonizar o pensamento que os povos europeus impuseram ao mundo, apagando os conhecimentos sociais, culturais, matemáticos e científicos dos povos africanos;

  • Desmistificar a Matemática como uma ciência fria, abstrata e superior, mostrando que é uma prática social, descoberta e utilizada desde o início da humanidade, na África;

  • Cumprir a lei 10.639/03, que insere a História da África e Cultura Afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino públicos e particulares.


Alguns dados sobre a África:

  • 3º maior continente em extensão territorial = 30 milhões de km²;

  • 2º continente mais populoso do mundo = 1,2 bilhões de habitantes;

  • Ocupa 20% da área continental do planeta Terra.


Quer conhecer mais sobre a Matemática no Continente Africano? Participe do nosso curso: A Matemática no Continente Africano e a Descolonização do Currículo.

O curso será realizado no dia 16/03/2021, das 19h às 21h, via Google Meet.

Faça a sua inscrição: https://bit.ly/cursomatdesco


Países do Continente Africano: Zâmbia


Países do Continente Africano: Zâmbia

República de Zâmbia é um país do sul da África (também conhecido como África Austral) sem saída para o mar. Sua capital é Lusaka, e o país possui uma área de aproximadamente 752.614 km² com uma população estimada em mais de 12 milhões de habitantes. A língua oficial é o inglês, seguida pelas línguas tradicionais de alguns grupos étnicos, que são os bembas (36,2% da população), nianjas (17,6%), tsongas (15,1%), rotses (8,2%), mambuês (4,6%), tumbucas (4,6%), entre outros. As religiões praticadas no país, são: protestantismo (32,1%), catolicismo (29,4%), cristianismo independente (15%) e crenças tradicionais (13,2%). A moeda do país é o Quacha Zambiano.

Países do Continente Africano: Zâmbia

Zâmbia é um dos países mais urbanizados da África Subsaariana, e faz divisas com Angola, República Democrática do Congo, Tanzânia, Malauí, Moçambique, Zimbábue, Botsuana e Namíbia. Antiga colônia inglesa, o país chamava-se Rodésia do Norte e seu vizinho Zimbábue chamava-se Rodésia do Sul. O nome Rodésia vem do colonizador e empresário inglês Cecil Rhodes, um dos responsáveis pelo imperialismo britânico no país e do genocídio dos povos africanos (mais de 60 milhões de pessoas), no qual defendia o chamado Darwinismo Social, ou seja, a superioridade da raça branca em relação das demais raças, ideia que deu origem ao eugenismo e ao racismo. A empresa fundada por Rhodes, a companhia De Beers, atualmente detém aproximadamente 44% de todo o mercado mundial de diamantes, mas já foi responsável por 90% desse mercado. A independência aconteceu em 1964 com o nome de Zâmbia, devido ao Zambezi, o rio mais importante do país.

Países do Continente Africano: Zâmbia

Dona de uma exuberante beleza natural, o território da Zâmbia é predominantemente alto. De nordeste a sudoeste estendem-se os montes Muchinga, com altitude máxima próxima dos 2,2 mil metros. No norte, no oeste e no sul, o relevo desce até atingir uma altitude média de mil metros. O rio Zambeze abriga as famosas Cataratas Vitória (considerada uma das maiores maravilhas naturais do mundo, na divisa com o Zimbábue), que formam uma cortina de água com cerca de 1.708 metros de largura e 122 metros de altura. Parques nacionais abrigam safaris com grandes variedades de animais. Devido a sua beleza, o país atrai turistas de todas as partes do mundo.

Países do Continente Africano: Zâmbia

Países do Continente Africano: Zâmbia

Com suas riquezas minerais, Zâmbia está entre os maiores produtores mundiais de cobre do mundo, e também possui reservas de cobalto, zinco e chumbo. A agricultura ocupa 70% da força de trabalho zambiana, com destaques ao milho, mandioca, trigo, batata, amendoim, algodão, café, cana-de-açúcar e tabaco. A indústria dedica-se principalmente ao processamento das riquezas minerais.

Países do Continente Africano: Zâmbia


Países do Continente Africano: Zâmbia

A Seleção Zambiana de Futebol é conhecida como “Chipolopolo” (“Balas de Cobre”, no idioma bemba), em referência ao estilo veloz de jogo da seleção e ao principal metal do país. Zâmbia abriu os olhos do mundo para as seleções de futebol do continente africano, quando, nas Olimpíadas de Seul (1988), goleou a Itália por 4x0. Esperada como grande surpresa para a Copa do Mundo de 1994, a delegação sofreu um acidente de avião nas eliminatórias em 1993, quando o avião, após ser reabastecido no Gabão, explodiu logo após decolar. Com a perda dos jogadores, não conseguiu se classificar para a Copa. Zâmbia foi campeã da Copa CECAFA (Conselho das Associações de Futebol da África Oriental e Central) por 3 vezes (1997, 1998 e 2006), da Copa COSAFA (Conselho das Associações de Futebol da África Austral) por 2 vezes (1984 e 1991) e do Campeonato Africano das Nações por uma vez (2012).

Países do Continente Africano: Zâmbia