Novidades

Últimos artigos
Artigos na categoria: "História da Matemática"

A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão

- 22 de julho de 2021 Sem comentários
África é o berço da humanidade e foi lá que o ser humano inventou a Matemática, o fogo, a escrita, a astronomia, o calendário, a engenharia, a medicina, a filosofia, entre diversos outros ramos da ciência e do conhecimento humano.

A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão

Calendário de Adão - 75 000 a.C.
http://solarey.net/ancient-african-architectural-marvel-south-african-ruins-75000-years-old/ - Acesso em 07/07/2021 


A Matemática é tão antiga quanto o tempo do ser humano no mundo. Pode-se dizer, que desde o início da humanidade, já se usavam conceitos matemáticos, que contribuíram para o progresso durante todo o período da História.

Estudos científicos apontam que o ser humano teve sua origem em África. O gênero Homo iniciou-se com os Hominídeos entre 6 e 7 milhões de anos, no período do Pleistoceno, que viviam da caça de pequenos animais selvagens e das frutas e raízes que colhiam, tinham que adaptar seus instrumentos de pedra, madeira e osso de acordo com a necessidade. O Homo habilis (homem habilidoso, aquele que fabrica seus próprios utensílios) há 3 milhões de anos, aperfeiçoou os machados e instrumentos de pedra, o Homo erectus há 2 milhões de anos, dominou o fogo e o Homem de Neanderthal há 300 mil anos aquecia suas cavernas e cozia os animais com fogo para se alimentar, além de registrar suas caçadas em pinturas murais elegantes e detalhadas. O Homo sapiens (homem racional, o ser humano moderno) criou ferramentas de osso, lâmina e pedra, e posteriormente o Homo sapiens sapiens a 250 mil anos, substituiu as cavernas por estruturas móveis com barracas de peles de animais e estruturas de madeira, além de esculpir estatuetas de fertilidade e ícones religiosos com pedras.

A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão

Ocre de Blombos- aproximadamente 77 000 a.C.
https://www.donsmaps.com/blombos.html - Acesso em 07/07/2021


Mesmo em épocas mais remotas, o ser humano tinha algum senso numérico, reconhecendo a noção de mais e menos quando se acrescentavam ou retiravam alguns objetos, além de discernir o tamanho maior e menor.

Importantes objetos arqueológicos que estão em museus, comprovam a prática da Matemática por diversos povos da antiguidade (como ossos, tábuas de argila e papiros), principalmente no continente africano.

A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão
Osso de Ishango - 20 000 a.C.
https://www.matematicaefacil.com.br/2016/07/matematica-continente-africano-osso-ishango.html - Acesso em 07/07/2021


Já vimos neste blog alguns desses objetos, como o Ocre de Blombos (datado de 77 000 anos a.C., encontrado na Caverna de Blombos, na África do Sul), o Osso de Lebombo (datado de 35 000 anos a.C., encontrado numa caverna nos Montes Libombos, entre África do Sul e Suazilândia) e o Osso de Ishango (datado de 20 000 anos a.C., encontrado nas margens do Lago Edward, no vilarejo de Ishango, na República Democrática do Congo, divisa com Uganda).


A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão

Calendário de Adão


Alguns cientistas defendem a ideia de que a astronomia talvez tenha sido o primeiro estudo distinto a incorporar a aplicação da Matemática. Na África do Sul, existe a mais antiga estrutura feita pela humanidade assim como o calendário e o objeto astronômico mais antigo do mundo, chamado Calendário de Adão. Feito provavelmente há 75 000 anos a.C., na região de Mpumalanga, o calendário é feito de pedra megalítica em forma de círculo com um diâmetro de 30 metros, apelidado de “Local do nascimento do Sol”. Feito praticamente na mesma época do Ocre de Blombos (objeto que contém Geometria e Matemática abstratas, provavelmente utilizado em rituais), prova que os povos do continente africano, além da Matemática e astronomia, também desenvolveram a filosofia, afinal, para produzir os conhecimentos nos objetos, era necessário haver e saber transmitir sabedoria. Essa filosofia, transmitida através dos tempos, se mostrou com força total bem mais tarde em Kemet, conhecido como Antigo Egito.

A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão

Calendário de Adão


Muitos cientistas dizem que os primeiros humanos surgiram onde hoje é o território da África do Sul, onde há alguns dos mais antigos sítios arqueológicos e fósseis humanos. Inclusive, o termo berço da humanidade é denominado Patrimônio Mundial pela UNESCO num conjunto de cavernas na província de Gauteng, no território da África do Sul. Também, nas montanhas do país, encontram-se mais de 100 mil ruínas de círculos de pedras. Entre essas ruínas, encontra-se a mais famosa e importante, o Calendário de Adão.

A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão



No local, as pedras foram colocadas para rastrear o movimento do Sol, projetando sombras nas rochas por meio do monólito central mais alto. Pela estrutura do local, foi notado que os meses são medidos pela mudança da sombra que move toda a superfície das rochas em um período de doze meses. Exceto a rocha-mãe (em cordita de recife negra), todas as pedras são dolomitas e cada uma pesa 5 toneladas, no qual os cientistas sugerem que foram trazidas de outro lugar. O Calendário de Adão, que pode ser visto em imagens de satélite, também possui frequências sonoras, com propriedades acústicas feitas da terra dentro dos círculos, conduzindo eletricidade. Essas frequências possuem formato de flores de geometria sagrada à medida que chegam à superfície. Muitas das estruturas circulares do calendário são alinhadas em pontos geográficos específicos, incluindo os solstícios e equinócios.

A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão




A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adã


A Matemática no Continente Africano: O Calendário de Adão



A Matemática no Continente Africano: O Ocre de Blombos

- 14 de julho de 2021 Sem comentários
A Matemática é tão antiga quanto o tempo do ser humano no mundo. Pode-se dizer, que desde o início da humanidade, já se usavam conceitos matemáticos, que contribuíram para o progresso durante todo o período da História.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

Ocre de Blombos- aproximadamente 77 000 a.C.
https://www.donsmaps.com/blombos.html - Acesso em 07/07/2021


Estudos científicos apontam que o ser humano teve sua origem em África. O gênero Homo iniciou-se com os Hominídeos entre 6 e 7 milhões de anos, no período do Pleistoceno, que viviam da caça de pequenos animais selvagens e das frutas e raízes que colhiam, tinham que adaptar seus instrumentos de pedra, madeira e osso de acordo com a necessidade. O Homo habilis (homem habilidoso, aquele que fabrica seus próprios utensílios) há 3 milhões de anos, aperfeiçoou os machados e instrumentos de pedra, o Homo erectus há 2 milhões de anos, dominou o fogo e o Homem de Neanderthal há 300 mil anos aquecia suas cavernas e cozia os animais com fogo para se alimentar, além de registrar suas caçadas em pinturas murais elegantes e detalhadas. O Homo sapiens (homem racional, o ser humano moderno) criou ferramentas de osso, lâmina e pedra, e posteriormente o Homo sapiens sapiens a 250 mil anos, substituiu as cavernas por estruturas móveis com barracas de peles de animais e estruturas de madeira, além de esculpir estatuetas de fertilidade e ícones religiosos com pedras.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

https://br.pinterest.com/pin/680395456201079956/ - Acesso em 07/07/2021



Importantes objetos arqueológicos que estão em museus, comprovam a prática da Matemática por diversos povos da antiguidade (como ossos, tábuas de argila e papiros), principalmente no continente africano.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

Papiro de Ahmes - 1 650 a.C.
https://www.matematicaefacil.com.br/2015/11/papiros-matematica-egipcia-papiro-rhind-ahmes.html - Acesso em 07/07/2021


Já vimos neste blog os objetos matemáticos mais antigos da humanidade: o Osso de Lebombo (datado de 35 000 anos a.C., encontrado numa caverna nos Montes Libombos, entre África do Sul e Suazilândia) e o Osso ou Bastão de Ishango (datado de 20 000 anos a.C., encontrado nas margens do Lago Edward, no vilarejo de Ishango, na República Democrática do Congo, divisa com Uganda), ambos no Paleolítico Superior.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

Osso de Lebombo - 35 000 a.C.
https://www.matematicaefacil.com.br/2016/07/matematica-continente-africano-osso-ishango.html - Acesso em 07/07/2021



A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos
Osso de Ishango - 20 000 a.C.
https://www.matematicaefacil.com.br/2016/07/matematica-continente-africano-osso-ishango.html - Acesso em 07/07/2021


Apesar de serem considerados objetos precursores da Matemática, há um objeto muito mais antigo que mostra o pensamento abstrato e geométrico, consequentemente matemático, chamado aqui de Ocre de Blombos.


Blombos é uma caverna localizada no sítio arqueológico da Reserva Natural Privada de Blombos, na África do Sul, aproximadamente a 300 km da Cidade do Cabo, a capital legislativa e maior cidade do país. Muitos cientistas dizem que os primeiros humanos surgiram onde hoje é o território da África do Sul, onde há alguns dos mais antigos sítios arqueológicos e fósseis humanos. Inclusive, o termo berço da humanidade é denominado Patrimônio Mundial pela UNESCO num conjunto de cavernas na província de Gauteng, no território da África do Sul. 

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

Caverna de Blombos - África do Sul
https://www.donsmaps.com/blombos.html - Acesso em 07/07/2021


A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

https://kids.britannica.com/students/assembly/view/186278 - Acesso em 07/07/2021


Além do Ocre de Blombos e do Osso de Lebombo, também foi descoberto na África do Sul o calendário mais antigo da humanidade, chamado de Calendário de Adão, provavelmente de 75 000 anos a.C. na região de Mpumalanga. O calendário é feito de pedra megalítica em forma de um círculo e um diâmetro de 30 metros, apelidado de “Local de nascimento do Sol”. É a mais antiga estrutura feita pelo ser humano.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

Calendário de Adão - 75 000 a.C.
http://solarey.net/ancient-african-architectural-marvel-south-african-ruins-75000-years-old/ - Acesso em 07/07/2021 


Na caverna de Blombos foram encontrados diversos objetos com datas entre 100 000 e 70 000 anos a.C. Entre os objetos (em sua maioria, diversos caracóis pequenos e perfurados) dois chamaram atenção devido a probabilidade de haverem desenhos geométricos.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

Objetos encontrados na caverna de Blombos. 
https://hist2220scadutop.wordpress.com/2017/02/01/blombos-cave-findings/ - Acesso em 07/07/2021



O primeiro é um osso (provavelmente da mandíbula de um mamífero) com 11 traços paralelos e um transversal. Supostamente, houve uma tentativa de construção de retas paralelas, já a transversal é um mistério. Não é descartada a possibilidade de uma atividade matemática.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos
 MAIS ANTIGA MANIFESTAÇÃO DE ATIVIDADE MATEMÁTICA - Manoel de Campos Almeida - Revista Educação em Movimento. Vol.IV, nº 11=Maio-Agosto 2005. Curitiba, Champagnat, 2005.
Acesso em 09/07/2021


O segundo objeto é um ocre, uma argila colorida por óxido de ferro, onde os ricos em hematita (significa “sangue”) são vermelhos e em limonita são amarelos, que possui grande utilidade para pintura. Inclusive, diversos objetos encontrados em Blombos são frutos de atividades artísticas, sendo considerados objetos artísticos mais antigos do mundo. Na verdade, foram encontrados dois ocres, mas um contém desenhos aleatórios. O ocre que realmente chamou atenção da comunidade científica foi o que contém desenhos geométricos, que data entre 77 000 a 80 000 anos, no Paleolítico Inferior, no qual chamamos aqui de Ocre de Blombos.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos

Ocre de Blombos
https://www.donsmaps.com/blombos.html - Acesso em 07/07/2021


O Ocre de Blombos representa, provavelmente, um dos bens simbólicos, preciosos, utilizados em objetos rituais. Talvez a tentativa foi produzir um padrão geométrico, conforme veremos nas figuras abaixo.

O objeto mostra que desde a antiguidade os humanos possuem um elaborado pensamento abstrato e geométrico, tirando a narrativa eurocêntrica de que os povos africanos só utilizavam a Matemática de forma empírica e que o pensamento abstrato surgiu na Grécia. Os papiros de Ahmes e Moscou, datados por volta de 2 000 a.C., séculos depois do Ocre de Blombos e dos ossos de Lebombo e Ishango, mostram o desenvolvimento matemático abstrato ao longo dos tempos. Aliás, foram da época desses e outros papiros, originários de Kemet (chamado de Egito pelos gregos), que o povo grego aprendeu a Matemática, a filosofia, a medicina, entre outros ramos do conhecimento humano, em África.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos
Papiro de Moscou - 1 850 a.C.
https://www.matematicaefacil.com.br/2015/11/papiros-da-matematica-egipcia-papiro-moscou.html - Acesso em 07/07/2021



No ocre, podemos encontrar retas paralelas, inclusive de mesma distância. Também encontramos losangos, triângulos equiláteros, e simetria.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos
A MAIS ANTIGA MANIFESTAÇÃO DE ATIVIDADE MATEMÁTICA - Manoel de Campos Almeida - Revista Educação em Movimento. Vol.IV, nº 11=Maio-Agosto 2005. Curitiba, Champagnat, 2005.
Acesso em 09/07/2021


Na figura abaixo, foi redesenhado um possível padrão geométrico no Ocre de Blombos, inclusive com ângulos de 60º, que formam os triângulos equiláteros.

A Matemática no Continente Africano: o Ocre de Blombos
A MAIS ANTIGA MANIFESTAÇÃO DE ATIVIDADE MATEMÁTICA - Manoel de Campos Almeida - Revista Educação em Movimento. Vol.IV, nº 11=Maio-Agosto 2005. Curitiba, Champagnat, 2005.
Acesso em 09/07/2021


Finalizando, podemos perceber a intenção de nossos ancestrais em construir um padrão geométrico no Ocre de Blombos, e consequentemente, foi utilizada a Matemática, assim como a Matemática foi utilizada na mesma época no Calendário de Adão, tema que veremos em postagens futuras.



Países do Continente Africano: Gana

- 6 de julho de 2021 Sem comentários

 



Com o objetivo de expandir o nosso conhecimento sobre o Continente Africano, vamos compartilhar um pouco (e aos poucos) sobre cada um dos 54 países desse continente. Hoje, conheceremos um pouco sobre GANA.

Países do Continente Africano: Gana



Sou colecionador de camisas de futebol, e atualmente, estou iniciando a coleção de seleções de países do Continente Africano. A cada camisa adquirida, sempre compartilho em minhas redes sociais um pequeno resumo sobre o país referente a camisa postada. Então, pensei em compartilhar com mais pessoas por este blog, com a vantagem de poder colocar mais fotos.

Mas, qual o motivo de um blog sobre Matemática compartilhar informações sobre países do Continente Africano? O motivo é simples: assim como a humanidade, a Matemática iniciou e se desenvolveu na África!

Países do Continente Africano: Gana



Neste blog, já temos alguns artigos sobre o assunto, que você pode conferir clicando no próprio assunto citado abaixo:


No Instagram, atualizamos sempre publicações sobre África, a Matemática no Continente Africano, cursos sobre Educação antirracista, entre outros.



Mas, porquê estudar a Matemática no Continente Africano? Aliás, porquê estudar a História da África?


  •  África é o berço da humanidade e foi em África que o ser humano inventou a Matemática, o fogo, a escrita, a astronomia, o calendário, a engenharia, a medicina, a filosofia, entre diversos outros ramos da ciência e do conhecimento humano;

  •  Brasil é o 2º país de maior população negra do mundo, atrás somente da Nigéria;

  •  No Brasil, aproximadamente, 56% das pessoas são pretas e pardas;

  •  África é o continente que mais contribuiu para a formação do Brasil (seja na sociedade ou na cultura), portanto, para compreender a história do Brasil, é necessário conhecer a história da África;

  •  Descolonizar o pensamento que os povos europeus impuseram ao mundo, apagando os conhecimentos sociais, culturais, matemáticos e científicos dos povos africanos;

  •  Desmistificar a Matemática como uma ciência fria, abstrata e superior, mostrando que é uma prática social, descoberta e utilizada desde o início da humanidade, na África;

  •  Cumprir a lei 10.639/03, que insere a História da África e Cultura Afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino públicos e particulares.


Alguns dados sobre a África:


  •  3º maior continente em extensão territorial = 30 milhões de km²;

  •  2º continente mais populoso do mundo = 1,2 bilhões de habitantes;

  •  Ocupa 20% da área continental do planeta Terra.


Conheça a história dos povos africanos por meio dos jogos matemáticos! Participe do nosso curso: Jogos Matemáticos do Continente Africano.

Conheça a história dos povos africanos por meio dos jogos matemáticos! Participe do nosso curso: Jogos Matemáticos do Continente Africano.


O curso será realizado online via Google Meet, no dia 10/06/2021, das 19h às 21h.

Faça já a sua inscrição: https://bit.ly/jogosmat1208



Países do Continente Africano: Gana


Países do Continente Africano: Gana


República de Gana é um país da África Ocidental e faz divisas com Togo, Burkina Fasso e Costa do Marfim. Sua capital e maior cidade é Acra, e a língua oficial é o inglês, seguido pelas línguas regionais, como o kwa e o gur. Possui mais de 27 milhões de habitantes, compostos pelos grupos étnicos: acãs (44%), móssi-dagombas (16%), euês (13%) e gás (8%), entre outros. A religião mais praticada é o protestantismo (24%), seguido pelas crenças tradicionais (22%), islamismo (20%), cristianismo independente (16%) e outros cristãos (14%). A moeda oficial é o Cedi.

Países do Continente Africano: Gana



Gana significa Guerreiro ou Guerreiro Rei (Warrior King), que era o nome dado ao poderoso Império de Gana e aos reis desse império. Apesar do nome, o Império de Gana situava-se nos territórios do Mali e Mauritânia. Porém, há hipóteses de que o povo fugiu do Império de Gana após ter sido dominado pelo Império do Mali, para manter sua cultura e religião, em direção ao atual território da República de Gana.

Países do Continente Africano: Gana


Os primeiros habitantes de Gana, provém da Idade do Bronze (5.000 anos atrás). O nome Gana foi dado ao país, que antigamente era chamado de Costa do Ouro (devido a abundância desse metal), após sua independência em 1957 (o primeiro país a sair do colonialismo britânico). O nome foi escolhido para refletir a força do antigo Império de Gana. O território abrigou os reinos acãs, como o Reino Bono e o rico Império Axante, onde até hoje mantém suas tradições.

Países do Continente Africano: Gana



Na economia, Gana é o maior produtor de cacau no mundo, e um grande exportador de ouro, diamantes, petróleo, manganês, bauxita e madeira. Na agricultura, além do cacau, tem destaque o café, amendoim, tabaco, inhame, milho, arroz e frutas tropicais. A pesca também é de grande destaque, e na indústria compreende o refino de petróleo e a fabricação de metais, móveis, material de construção, cerveja, cigarro, produtos químicos e a barragem de sua hidrelétrica forma o lago artificial mais extenso do mundo, o Volta. Tudo isso faz de Gana uma das economias mais estáveis do continente africano, com a economia de crescimento mais rápido do mundo entre 2018 e 2019. Também, tem a 3ª moeda mais forte, é o 3º mais pacífico e o 4º país mais poderoso da África.


Países do Continente Africano: Gana



A cultura de Gana é de extrema riqueza, que expressa tradição, ancestralidade e religiosidade. O destaque vai para os tecidos Kente (utilizados nas vestimentas e turbantes), conhecidos por suas cores, história e simbolismo para a sociedade. Também, os Adinkras (conjunto de símbolos gráficos que representam palavras e ideias expressas em provérbios) são destaques. Tradicionalmente, os Adrinkras são estampados com tinta vegetal em tecidos de algodão. Em uma de suas simbologias, os Adinkras também são utilizados no Kwanzaa, celebrada em diversos países, tanto no Brasil quanto em países do continente africano, inclusive em Gana. É uma comemoração reflexiva e cultural, comemorada por 7 dias (26 de dezembro à 01 de janeiro), através da valorização de 7 princípios: unidade, autodeterminação, trabalho coletivo com responsabilidade, cooperação econômica, propósito, criatividade e fé. Além da tradição estética, os símbolos transmitem aspectos da história, filosofia e valores culturais ancestrais do povo acã e asante. Ambos, os tecidos Kente e os Adinkras, além da representação visual da história e da forma de linguagem escrita, possuem uma Matemática incrível. Na música, o estilo dançante chamado high life é muito tocado nos bares e clubes, e os ganeses adoram instrumentos de percussão, principalmente os tambores, de grande influência no Brasil. Em Acra (capital de Gana), há uma comunidade chamada “Tabom”, que é formada por um grupo de descendentes dos povos africanos no Brasil, que retornaram a Gana no século XIX, e o nome foi dado devido a dificuldade de comunicação pois o povo que chegou do Brasil só falava português, e como a língua da Gana é o inglês, tudo que era dito aos regressos do Brasil eles respondiam “tabom”.


Países do Continente Africano: Gana



O esporte mais popular em Gana é o futebol. A seleção feminina é conhecida como Black Queens (Rainhas Negras) e participaram de três Copas do Mundo. A seleção masculina é uma das maiores forças do futebol no continente africano, e também participou de três Copas do Mundo. Foi campeão da Copa das Nações Africanas por 4 vezes (1963, 1965, 1978 e 1982), da Copa da África Ocidental por 5 vezes (1982, 1983, 1984, 1986 e 1987) e da Copa das Nações do Oeste Africano por 2 vezes (2013 e 2017). Nos Jogos Olímpicos, conquistou a medalha de bronze em 1992 (a 1ª equipe de futebol do continente africano a conquistar uma medalha olímpica). Nos Jogos Pan-Africanos, conquistou 2 medalhas de bronze (1978 e 2003). Gana também se destaca nas categorias de base, foi campeão da Copa do Mundo Sub-20 (2009), vencendo o Brasil na final, nos pênaltis (4x3), após um empate em 0x0. Também, foi campeão Mundial Sub-17 por 2 vezes, em 1991 e 1995.


Países do Continente Africano: Gana


Países do Continente Africano: Gana






Países do Continente Africano: Guiné

- 24 de junho de 2021 Sem comentários
Com o objetivo de expandir o nosso conhecimento sobre o Continente Africano, vamos compartilhar um pouco (e aos poucos) sobre cada um dos 54 países desse continente. Hoje, conheceremos um pouco sobre GUINÉ.
Países do Continente Africano: Guiné
Sou colecionador de camisas de futebol, e atualmente, estou iniciando a coleção de seleções de países do Continente Africano. A cada camisa adquirida, sempre compartilho em minhas redes sociais um pequeno resumo sobre o país referente a camisa postada. Então, pensei em compartilhar com mais pessoas por este blog, com a vantagem de poder colocar mais fotos.


Mas, qual o motivo de um blog sobre Matemática compartilhar informações sobre países do Continente Africano? O motivo é simples: assim como a humanidade, a Matemática iniciou e se desenvolveu na África!

Países do Continente Africano: Guiné



Neste blog, já temos alguns artigos sobre o assunto, que você pode conferir clicando no próprio assunto citado abaixo:










No Instagram, atualizamos sempre publicações sobre África, a Matemática no Continente Africano, cursos sobre Educação antirracista, entre outros.


Mas, porquê estudar a Matemática no Continente Africano? Aliás, porquê estudar a História da África?

  • África é o berço da humanidade e foi em África que o ser humano inventou a Matemática, o fogo, a escrita, a astronomia, o calendário, a engenharia, a medicina, a filosofia, entre diversos outros ramos da ciência e do conhecimento humano;

  • Brasil é o 2º país de maior população negra do mundo, atrás somente da Nigéria;

  • No Brasil, aproximadamente, 56% das pessoas são pretas e pardas;

  • África é o continente que mais contribuiu para a formação do Brasil (seja na sociedade ou na cultura), portanto, para compreender a história do Brasil, é necessário conhecer a história da África;

  • Descolonizar o pensamento que os povos europeus impuseram ao mundo, apagando os conhecimentos sociais, culturais, matemáticos e científicos dos povos africanos;

  • Desmistificar a Matemática como uma ciência fria, abstrata e superior, mostrando que é uma prática social, descoberta e utilizada desde o início da humanidade, na África;

  • Cumprir a lei 10.639/03, que insere a História da África e Cultura Afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino públicos e particulares.


Alguns dados sobre a África:

  • 3º maior continente em extensão territorial = 30 milhões de km²;

  • 2º continente mais populoso do mundo = 1,2 bilhões de habitantes;

  • Ocupa 20% da área continental do planeta Terra.

Conheça a história dos povos africanos por meio dos jogos matemáticos! Participe do nosso curso: Jogos Matemáticos do Continente Africano.

Países do Continente Africano: Guiné

O curso será realizado online via Google Meet, no dia 10/06/2021, das 19h às 21h.

Faça já a sua inscrição: 
https://bit.ly/jogosmat1208   


Países do Continente Africano: Guiné 


Países do Continente Africano: Guiné

República da Guiné, também conhecida como Guiné-Conacri (para não ser confundida com Guiné-Bissau) é um país da África Ocidental banhado pelo Oceano Atlântico. Até a sua independência em 1958, o país era conhecido como Guiné Francesa. Além da porção continental, faz parte do país uma série de ilhas, entre as quais se destacam Los, Roume e Kassa. O país faz divisas com Guiné-Bissau, Senegal, Mali, Costa do Marfim, Libéria e Serra Leoa. Sua capital é Conacri, que é o centro administrativo, cultural, financeiro e econômico do país. A língua oficial é o francês, seguido pelas línguas regionais, como o sussu e o manicá. Existem diversas etnias, entre elas os fulanis (35%), os mandingas (30%) e os sussus (20%). A religião principal é o islamismo (68,6%), seguido pelas crenças tradicionais (27,8%), cristianismo (3,4%) e ateísmo (0,2%). A moeda é o Franco Guineense, e o país possui mais de 10 milhões de habitantes.


Países do Continente Africano: Guiné

O nome Guiné pode derivar de um império que existiu no século VIII na região, conhecido como Djinne ou Ghinea. Também, pode ser derivado do nome “Gana”, no qual o território era chamado na época de um dos impérios mais poderosos e ricos da história, o Império do Mali. Guiné significa "Terra dos Negros". No território da atual Guiné, houveram outros impérios, como o Songai, Peúle e Mandinga. Os primeiros habitantes da região foram os caçadores-coletores há cerca de 30.000 anos, seguidos pelos pigmeus e outros povos vindos do Mali, Níger e Senegal.


Países do Continente Africano: Guiné

Guiné possui um dos climas mais úmidos da África Ocidental, com uma densa floresta tropical, e o maciço de Fouta Djalon, com média de 915 metros de altitude. Cerca de 22 rios na África Ocidental possuem origem na Guiné, entre eles, as nascentes dos rios Níger, Gâmbia e Senegal. Os principais rios são o Bafing e o Gâmbia, que começam em Fouta Djalon e correm na direção nordeste, rumo ao Mali e ao Senegal, respectivamente.


Países do Continente Africano: Guiné

A economia é beneficiada pela fartura de riquezas minerais, o país possui uma das maiores reservas de bauxita do mundo (um terço do principal minério de alumínio), além de jazidas de ferro, diamante, ouro e urânio. Também, a Guiné tem um grande potencial de crescimento na agricultura e pesca, com terras férteis, condições climáticas e disponibilidade de água, com destaque na produção de arroz, mandioca, inhame, algodão, amendoim, café, banana e abacaxi. A indústria se destaca na fabricação de alumínio, cimento, cigarro e alimentos.


Países do Continente Africano: Guiné

Na cultura, Guiné é forte na música e conhecida em todo o mundo através dos djembefolás (tocadores de djembê). No Brasil, vemos essa cultura por meio dos maracatus, dos afoxés, entre outros. Outro estilo tradicional é o Mandingue, e, independente do estilo, todos eles são caracterizados pelo uso intenso de instrumentos de percussão e cordas. Realizações criativas na dança moderna e na música popular deram aos músicos e cantores guineenses uma reputação internacional, inclusive esses ritmos são tradicionais também no Ballet Nacional Guineense. Na literatura, os escritores exibem um forte senso de nacionalismo. O país é forte nos artesanatos em couro, joias e esculturas em madeira.


Países do Continente Africano: Guiné

O esporte mais popular na Guiné é o futebol, uma espécie de religião no país. Geralmente, as crianças bloqueiam uma rua inteira com uma rede, parando o trânsito, para jogar. A Federação Guineana de Futebol foi campeã da Copa Amílcar Cabral por 5 vezes, nos anos de 1981, 1982, 1987, 1988 e 2005. Na Copa das Nações Africanas, foi vice campeã em 1976.


Países do Continente Africano: Guiné

Países do Continente Africano: Guiné

Países no Continente Africano: Angola

- 29 de maio de 2021 Sem comentários

Com o objetivo de expandir o nosso conhecimento sobre o Continente Africano, vamos compartilhar um pouco (e aos poucos) sobre cada um dos 54 países desse continente. Hoje, conheceremos um pouco sobre a ANGOLA

Países no Continente Africano: Angola



Sou colecionador de camisas de futebol, e atualmente, estou iniciando a coleção de seleções de países do Continente Africano. A cada camisa adquirida, sempre compartilho em minhas redes sociais um pequeno resumo sobre o país referente a camisa postada. Então, pensei em compartilhar com mais pessoas por este blog, com a vantagem de poder colocar mais fotos.


Mas, qual o motivo de um blog sobre Matemática compartilhar informações sobre países do Continente Africano? O motivo é simples: assim como a humanidade, a Matemática iniciou e se desenvolveu na África!

Países no Continente Africano: Angola



Neste blog, já temos alguns artigos sobre o assunto, que você pode conferir clicando no próprio assunto citado abaixo:




No Instagram, atualizamos sempre publicações sobre África, a Matemática no Continente Africano, cursos sobre Educação antirracista, entre outros.


Mas, porquê estudar a Matemática no Continente Africano? Aliás, porquê estudar a História da África?


  • África é o berço da humanidade e foi em África que o ser humano inventou a Matemática, o fogo, a escrita, a astronomia, o calendário, a engenharia, a medicina, a filosofia, entre diversos outros ramos da ciência e do conhecimento humano;

  •  Brasil é o 2º país de maior população negra do mundo, atrás somente da Nigéria;

  •  No Brasil, aproximadamente, 56% das pessoas são pretas e pardas;

  •  África é o continente que mais contribuiu para a formação do Brasil (seja na sociedade ou na cultura), portanto, para compreender a história do Brasil, é necessário conhecer a história da África;

  •  Descolonizar o pensamento que os povos europeus impuseram ao mundo, apagando os conhecimentos sociais, culturais, matemáticos e científicos dos povos africanos;

  •  Desmistificar a Matemática como uma ciência fria, abstrata e superior, mostrando que é uma prática social, descoberta e utilizada desde o início da humanidade, na África;

  •  Cumprir a lei 10.639/03, que insere a História da África e Cultura Afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino públicos e particulares.


Alguns dados sobre a África:

  •  3º maior continente em extensão territorial = 30 milhões de km²;

  • 2º continente mais populoso do mundo = 1,2 bilhões de habitantes;

  •  Ocupa 20% da área continental do planeta Terra.


Conheça a história dos povos africanos por meio dos jogos matemáticos! Participe do nosso curso: Jogos Matemáticos do Continente Africano.

Países no Continente Africano: Angola

 
O curso será realizado online via Google Meet, no dia 10/06/2021, das 19h às 21h.

Faça já a sua inscrição: 
http://bit.ly/cursojogosmat  


Países no Continente Africano: Angola


Países no Continente Africano: Angola


República de Angola é um país do sudoeste da África, localizado na África Central, banhado pelo Oceano Atlântico. Sua capital é Luanda, e o país possui mais de 32 milhões de habitantes, sendo o português a língua oficial, seguido por outras línguas regionais, como o umbundu, o quimbundo, o quicongo, o ovimbundo e o congo. A população é formada por grupos étnicos nativos, entre eles os ovimbundos (37%), os umbundus (25%) e os congos (13%). A religião majoritária é o catolicismo (67%), seguido pelo protestantismo (28%) e crenças tradicionais (5%). A moeda do país é o Kwuanza, nome do principal rio do país.

Países no Continente Africano: Angola


Angola faz divisas com República Democrática do Congo, Zâmbia e Namíbia. Seu nome é derivado do termo banto Ngola, título dos reis do Reino do Ndongo. O termo possui raízes de Ngolo, que significa força, nas línguas quimbundo e quicongo. Também, existiram outros reinos que, além de ocuparem partes de territórios de outros países, ocuparam partes de Angola, como o Reino do Congo e o Reino Lunda.

Países no Continente Africano: Angola


O país é rico em recursos naturais e contém grandes reservas de petróleo (responsável por 90% das exportações) e outras riquezas minerais, como o diamante, ouro, prata, ferro, sal e gás natural. Os principais itens agrícolas produzidos são, café, mandioca, cana-de-açúcar, milho, algodão e banana. A pesca tem bom destaque em Angola, e na indústria destacam-se os ramos siderúrgico, têxtil, químico, petroquímico, açúcar e vidro.

Países no Continente Africano: Angola


Com grande diversidade cultural, Angola tem destaque na literatura, com Agostinho Neto, Pepetela, Luandino Vieira, Viriato Cruz, entre outros. A União dos Escritores Angolanos foi um importante grupo nos anos de 1970 e 1980, auxiliando diversos escritores e publicarem seus livros. Na música, tem destaque no semba (ou umbigada, uma das fontes de criação do samba brasileiro), na rumba congolesa, no merengue angolano e no kuduro, e seus ritmos, assim como a religião, tem influência no Brasil e em Cuba. O país também possui tradições nas festas típicas, como o carnaval, a festa do mar, a festa das frutas e a festa da Nossa Senhora de Muxima. Resumindo, Angola e Brasil estão muito ligados na língua, na cultura e na religião, e ainda temos a galinha d’angola.

Países no Continente Africano: Angola


No esporte, o basquete é o mais popular. Possui o maior número de títulos (11) no Afrobasket, e sempre compete na Copa do Mundo e nos Jogos Olímpicos de Verão. O país já foi sede da Copa do Mundo de Hóquei em Patins, e possui fortes raízes na arte marcial como a Capoeira, com forte influência no Brasil.

Países no Continente Africano: Angola


No futebol maculino, Angola foi sede da Copa das Nações Africanas, em 2010. A Seleção Angolana de Futebol, conhecida como os Palancas Negras (uma subespécie rara de antílope, que existe somente em Angola e simboliza a vivacidade, a velocidade e a beleza), foi campeã da Copa COSAFA (Conselho das Associações de Futebol da África Austral) por 3 vezes, em 1999, 2001 e 2004. Conquistou medalhas de prata na Copa das Nações Africanas em 2011, nos Jogos da Lusofonia (evento multidesportivo entre os países de língua portuguesa, semelhante aos Jogos Olímpicos) em 2006 e nos Jogos da CPLP (semelhante aos Jogos da Lusofonia, com atletas de idade inferior a 16 anos) em 2014. Conquistou medalhas de bronze nos Jogos da Lusofonia em 2009 e nos Jogos da CPLP em 2012. Também, foi campeã Sub-21 na Copa das Nações Africanas em 2001. No futebol feminino, chegou em 3º lugar na Copa das Nações Africanas e em 2º lugar na Copa COSAFA.

Países no Continente Africano: Angola



Países no Continente Africano: Angola